sábado, 21 de abril de 2012

História do Esporte



Introdução
A história do esporte

As manifestações esportivas ocupam um lugar importante na história da humanidade.

Desde as civilizações mais primitivas, são encontrados registros semelhantes às atividades físicas, que podemos caracterizar como os esportes dos dias de hoje.

O esporte, evidenciado como prática institucionalizada nas escolas, nas atividades informais do lazer bem como na dimensão atribuída ao rendimento, desde a sua origem até os dias atuais, passou por uma significativa evolução. Esta evolução tem contribuído para sua propagação no meio social, chegando ao ponto de o esporte se constituir um verdadeiro fenômeno sociocultural, presente em todas as camadas sociais. A abrangência que o esporte tomou a partir do século XX, quanto ao aumento do número de praticantes e ao aparecimento de novas modalidades esportivas, motivou vários estudos realizados pela intelectualidade internacional e um maior interesse da mídia.

Para discorrer sobre a história do esporte, é preciso, inicialmente, identificar as percepções da origem e do significado do termo esporte. Existem vários termos que compreendem o esporte e também várias interpretações do significado da palavra esporte.

Tubino (1999) afirma que a origem do termo esporte data do século XIV, quando os marinheiros utilizavam as expressões “desportar-se” ou “sair do porto” para justificar seus passatempos que envolviam as habilidades físicas.

Barbieri (2001) aponta que a palavra esporte origina-se do inglês sport, que se refere a exercício físico, prazer, distração, brincadeira e repouso corporal.

É essencial citar a prática de atividades físicas realizadas na Pré-História, apontando o caráter utilitário e algumas expressões recreativas registradas nos achados arqueológicos. Na Antiguidade, várias civilizações já apresentavam manifestações esportivas (apesar de não sistematizadas), por finalidade guerreira, higiênica, terapêutica, esportiva ou educacional.

É necessário também destacar os rituais e o caráter religioso presentes na prática das atividades físicas realizadas nesse período. Merecem destaque especial os grandes eventos esportivos desse período, tendo maior relevância os Jogos Olímpicos, disputados entre os anos de 776 a.C. e 394 d.C.

Na história da educação física e dos esportes, a Idade Média é considerada um período obscuro. Os eventos esportivos eram marcados pela violência e os princípios esportivos deixados pela Grécia foram substituídos pela brutalidade. O cristianismo pregava o descaso pelas coisas do corpo para a salvação da alma. O fato positivo que marcou esse período foi o aparecimento de vários estudos sobre a educação física e os esportes por parte de pensadores pertencentes ao movimento renascentista.

O período da idade moderna foi impulsionado pelo movimento renascentista. Dessa época, podemos encontrar os reais precursores de uma educação física que se firmariam no horizonte pedagógico do século seguinte. Várias correntes ligadas à educação física passaram a valorizar o esporte, seja de modo competitivo, seja em suas práticas escolares.

O esporte voltou a ter um significado maior com o ressurgimento dos Jogos Olímpicos em 1896, por iniciativa do barão Pierre de Coubertin, que tinha o propósito de utilizar o esporte como um meio de aproximação dos povos e raças pela paz internacional.

Os movimentos esportivos mundiais tiveram uma significativa participação no processo de revitalização do esporte. A ideia era democratizar as práticas esportivas, tentando atingir todas as classes sociais com o intuito de propagar e proporcionar o direito de todos à prática do esporte. Ressalta-se também a participação da Associação Cristã de Moços, com a criação de esportes como o voleibol, o basquetebol e o futsal, no fim do século IX e início do século XX.

Este texto procura abordar a história do esporte tendo como referência a periodização que herdamos do calendário da Europa cristã ocidental. Isso abrange conhecimentos sobre épocas, povos, obras e homens, a partir de fatos e interesses que permeiam o assunto em questão.

Pesquisa: Prof. Raul Vaz da Silva Neto (fascículo 2 – Curso Olimpíada e Cidadania). 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Transformando Suor em Ouro - Bernardinho NO VOLEI E NA VIDA

Frases extraídas de seu livro:


Compreender a importância da instrução no desenvolvimento cultural e profissional.

Dedicar-se com obstinação, na busca de um objetivo.

Entender a paixão como fator essencial de motivação.

Superar as limitações pessoais pela disciplina.

Nunca esquecer que a vaidade é inimiga do espírito de equipe.

Buscar o "brilho da vitória" no olhar de seus colaboradores.

Trabalhar a perseverança, a obstinação, não desistindo nem recuando diante de obstáculos.

Desenvolver o senso de observação.

Entender que o sentido de coletividade é mais importante do que eventuais centelhas individuais.

Combater o desperdício de talento.

Falhe ao planejar e estará planejando falhar.

Monitorar constantemente sua vaidade.

Treinar ao nível extremo significa desenvolver ao máximo sua capacidade de realização.

Detectar e desenvolver talentos é uma das principais atribuições do líder.

Estudar, ler, observar, questionar constituem o processo de preparação.

Assumir o desafio de, ao encontrar um time pronto, conquistar as pessoas e fazer delas o "SEU" Time.

Lembrar-se sempre de que o talento, por si só, não basta.

Boas performances dependem de conteúdo (fruto de preparação) + entusiasmo (fruto da paixão).

Encarar os desafios como grandes oportunidades.

Não prometer o que não pode ou não pretende cumprir.

Entender a importância de todas as peças, mesmo as "consideradas" menos importantes.

Criar metas ideais.

Acreditar na força transformadora do efeito pigmalião (quanto mais o chefe mostrar que acredita no potencial de seus colaboradores e se dedicar a eles, maior será sua produtividade)

Não rotular as pessoas.

Concertrar-se no condicionamento, nos fundamentos e na união para a formação de uma equipe vitoriosa.

Trabalhar para fortalecer a parte emocional, de forma a não perder o foco na execução de uma tarefa.

Tentar entender os porquês de uma derrota, assumir suas responsabilidades e seguir em frente.

Inconformismo, insatisfação - sem isso, não se dá um passo à frente.

Não existem atalhos para o sucesso, mas o trabalho intenso é a estrada mais curta.

Errar na forma é aceitável, mas nunca na intenção.

O questionamento é uma grande fonte de crescimento, e o crescimento permanente, uma grande fonte de satisfação.

Entender a importância do trabalho em equipe (Team Work)

Incentivar lideranças.

Manter a motivação sempre elevada.

Preservar e buscar se superar constantemente.

Trabalhar o comprometimento e a cumplicidade entre as peças da "grande engrenagem".

Disciplina e Ética são hábitos que perpetuam os bons resultados.

Assumir responsabilidades e tentar extrair lições das derrotas para não repetir os erros.

O verdadeiro líder deve se manter sempre atento aos seus colaboradores.

Tentar evitar as armadilhas do sucesso.

Ter consciência coletiva exige desprendimento, solidariedade, companheirismo e espírito de equipe.

Uma equipe nem sempre é formada pelos melhores, mais capazes, mas sim pelos colaboradores certos.

Uma equipe vencedora tem sempre bons reservas.

Ter senso de urgência. (realizar cada tarefa como se fosse a mais importante. Jogar cada ponto como se fosse o decisivo.)

Entender que a condição de favoritismo atribuída a nós por outros deve servir como sinal de alerta.

Saber que as vitórias do passado só garantem uma coisa: grandes expectativas e maiores responsabilidades.

Criar zonas de desconforto para afugentar a armadilha do sucesso e testar o comprometimento dos vitoriosos.

Conscientizar-se de que o verdadeiro campeão controla a vaidade para que, como um autêntico TEAM PLAYER, eleve o nível de atuação de todos à sua volta.

Um trabalho de preparação meticuloso é o caminho mais curto para a vitória.

É importante que os "primeiros da classe" se preparem com a mesma intensidade daqueles que os perseguem, caso contrário serão alcançados e provavelmente ultrapassados.

Optar pelas pessoas certas e não pelas mais talentosas.

Focar no trabalho de equipe.

Fomentar as lideranças no grupo.

Treinamento extremo. (nada substitui o treinamento)

Buscar equilíbrio entre cobranças e condições externas.

Atenção ao sucesso e suas armadilhas.

Buscar constantemente a excelência.

Bernadinho, Técnico da Seleção Brasileira de Vôlei - Masculino Adulto.




Loading...

TEM WORK

"Se não houver paixão, se não houver comprometimento, tudo o mais é inútil".

"A Expectativa gera responsabilidade, o que leva à necessidade de mais trabalho e a uma atenção ainda maior aos detalhes".

"O Sucesso tem muitos pais, mas o fracasso é quase órfão".