quinta-feira, 26 de maio de 2011

TIPOS DE GINÁSTICA LABORAL

A ginástica laboral tem sido classificada por diversos autores de forma diferente, observar-se-á neste presente trabalho classificada pelos autores Maciel, 2005; Albuquerque, 2005; Melzer, 2005; Leônidas (2005) pelas seguintes formas: preparatória, compensatória, de relaxamento e corretiva:

Ginástica laboral preparatóriaRealizada no início da jornada de trabalho, ela ativa fisiologicamente o organismo, prepara para o trabalho físico e melhora o nível de concentração e disposição, elevando a temperatura do corpo, oxigenando os tecidos e aumentando a freqüência cardíaca. Tem a duração aproximada de 10 a 12 minutos. Inclui exercícios de coordenação, equilíbrio, concentração, flexibilidade e resistência muscular (Maciel, 2005; Albuquerque, 2005; Melzer, 2005; Leônidas , 2005).

Ginástica laboral compensatóriaCom duração de 5 a 10 minutos durante a jornada de trabalho, sua principal finalidade é compensar todo e qualquer tipo de tensão muscular adquirido pelo uso excessivo ou inadequado das estruturas musculoligamentares. Tem o objetivo de melhorar a circulação com a retirada de resíduos metabólicos, modificar a postura no trabalho, reabastecer os depósitos de glicogênio e prevenir a fadiga muscular. São sugeridos exercícios de alongamento e flexibilidade, respiratórios e posturais (Maciel, 2005; Albuquerque, 2005; Melzer, 2005; Leônidas , 2005).

Ginástica laboral de relaxamentoRealizada no final da jornada de trabalho durante 10 ou 12 minutos, tem como objetivo a redução do estresse, alívio das tensões, redução dos índices de desavenças no trabalho e em casa, com conseqüente melhora da função social. São realizadas auto-massagens, exercícios respiratórios, exercícios de alongamento e flexibilidade e meditação (Maciel, 2005; Albuquerque, 2005; Melzer, 2005; Leônidas , 2005).
Ginástica laboral de compensação
Tem o objetivo de evitar vícios posturais e o aparecimento da fadiga, principalmente por posturas extremas, estáticas ou unilaterais. Podem ser realizados movimentos simétricos de alongamento dentro do próprio setor ou ambiente de trabalho entre 5 a 10 minutos (Maciel 2005; Albuquerque, 2005; Melzer, 2005; Leônidas , 2005).

Ginástica laboral corretivaA finalidade da Ginástica Laboral Corretiva é estabelecer o antagonismo muscular, utilizando exercícios que visam fortalecer os músculos fracos e alongar os músculos encurtados, destinando-se ao indivíduo portador de deficiência morfológica, não patológica, sendo aplicada a um grupo reduzido de pessoas. Entretanto, a Ginástica Laboral Corretiva visa combater e, principalmente, atenuar as conseqüências decorrentes de aspectos ecológicos ergonômicos inadequados ao ambiente de trabalho (Maciel, 2005; Albuquerque, 2005; Melzer, 2005; Leônidas , 2005).

Sobre as dificuldades de ensinar 7

Para alguns que ficaram em dúvida se defendo os castigos na escola, esclareço: sou contra os castigos e a favor de mudar o formato da escola, de preferência derrubando paredes, mudando a arquitetura e acabando com as famigeradas carteiras. Mas vamos mudar de assunto.

O problema da Educação Física não é de conteúdos. Eles existem fartamente em um país de diversidade cultural como o Brasil. Bastaria a Capoeira para dar conta de boa parte dos conteúdos de um programa escolar de Educação Física. Nosso maior problema é o método, isto é, o modo como a gente orienta, conduz, administra as aulas. O problema é que os conteúdos são visíveis,aparentes, todo mundo vê. E o método é invisível, difícil de controlar, porque envolve teorias, intenções conscientes, mas também desejos, humores, intenções inconscientes etc. Porém, de maneira geral, se tenho à mão um mundo de brincadeiras populares, para ensinar as brincadeiras e além das brincadeiras, preciso dominar o método e defini-lo para mim mesmo. Por exemplo, no meu caso, qualquer que seja a atividade, ela deve produzir um conhecimento de nível superior que chamo de consciência. É preciso jogar Queimada e saber que jogou queimada, saber que para jogar bem a Queimada foi preciso se organizar, construir regras, posicionar-se bem, passar corretamente, parar o jogo, combinar jogadas, e assim por diante. E para chegar a isso, precisaríamos, sempre que os alunos dominarem bem uma forma de jogar, adicionar mais alguma coisa que ele ainda não conhece, para criar a dúvida, o conflito, e desencadear um processo que pode levar à consciência.
Isso só o método pode garantir, e não necessariamente o conteúdo.

Blog do João Freire



Educação Física

Diabetic Center

Atividade Física na Adolescência A atividade física na adolescência é fundamental, pois nesta fase ocorrem muitas mudanças corporais, emocionais e de comportamento.

A adolescência é uma fase de transição para a vida adulta, onde os jovens começam a ter maior responsabilidade, tem que fazer escolhas que vão ser fundamentais neste novo momento e muitas vezes, é um momento de autoafirmação, onde uma certa “rebeldia” é natural, criando conflitos com os pais.

Mas também passam por mudanças no corpo, devido à alta concentração de hormônios.

Os meninos começam a desenvolver pêlos pelo corpo e pelo rosto, a voz engrossa. Já as meninas começam a ter as formas mais arredondadas, desenvolvem seios e começam a menstruar. É um momento, onde a prática de alguma atividade física se torna muito importante.

Praticar alguma atividade física neste momento ajuda o adolescente a enfrentar melhor os efeitos psicossociais de uma fase de transição, pois gastando energia no esporte, tende a ficar mais equilibrado.

O esporte, também ajuda na socialização, já que aumenta a autoestima e serve como elo de integração, num momento onde ele procura se integrar a um grupo da mesma faixa etária que a dele.

A prática desportiva também auxilia a afastar o jovem de possíveis vícios, como o álcool, o tabaco e as drogas, visto que ele não conseguirá manter uma frequência caso se envolva com isso.

Também ajuda a equilibrar o peso do corpo, aumentando a massa magra e reduzindo o nível de gorduras, pois devido ao crescimento muscular e ósseo, nesta fase os adolescentes costumam comer muito, o que poderia levar à obesidade, sem uma queima constante de calorias.



Esta notícia foi acessada em 25/05/2011 no sítio Diabetic Center.

Todas as informações nela contida são de responsabilidade do autor.

domingo, 22 de maio de 2011

Objetivos em cada fase escolar na Educação Física



Posted: 22 May 2011 12:26 AM PDT
Educação Infantil

Descoberta dos movimentos fundamentais – fases: inicial, elementar e madura (Gallahue e Ozmun, 2001, p.100), desenvolver o maior número possível de vivências e variações procurando levar os alunos a perceberem as condições motoras;

Educação Fundamental (1a à 4a série)

Exploração dos movimentos fundamentais. Coloca-se como uma fase onde as vivências devem ser intensificadas e ampliadas em graus de complexidade. Nesta fase as combinações devem ser estimuladas e exploradas com o propósito de uma sólida fundamentação do âmbito motor básico.

Educação Fundamental (5a à 8a série)

Especialização dos movimentos fundamentais e adaptação aos modelos padronizados das manifestações culturais. A sólida estrutura organizada no período anterior deve permitir que os alunos consigam se adaptar com facilidade às exigências motoras das manifestações culturais lúdico/esportivas e ampliar esta adaptação construindo formas alternativas do âmbito motor. É o momento onde os alunos estarão estruturando modelos próprios para vencer os obstáculos motores, por isso se trata de uma fase de muitas experiências.

Ensino Médio

Aperfeiçoamento dos movimentos básicos e especializados. Neste período os alunos estarão dando a forma final e inovadora de como pretendem participar das manifestações culturais lúdico/esportivas. A estruturação motora atinge o ponto alto nesta fase e serve como elemento fundamental por toda a vida.

Verdades sobre o colesterol

Temido por muita gente e sempre associado a enfartes, o colesterol também é uma substância necessária ao nosso organismo. É que ele ajuda na síntese de estrogênio, androgênio e progesterona (hormônios responsáveis pelas características sexuais), vitamina D, ácido biliar, etc.
Então, como não podemos brincar com a saúde, seguem algumas questões que você tem que saber!
  • O que é o colesterol?
Quimicamente, o colesterol é um álcool, mas ele só consegue circular pelo corpo grudado em moléculas chamadas lipoproteínas, que podem ser de dois tipos: LDL, o famoso mau colesterol, que tem baixos níveis proteicos, e o HDL, com grande quantidade de proteína, é conhecido como bom colesterol por ser responsável por eliminar o excesso de LDL do sangue. Os alimentos ricos em gordura saturada (carne vermelha, queijos amarelos, ovos, doces e frituras) são os maiores responsáveis por altos índices de colesterol.
  • Por que provoca doenças?
Quando há muito colesterol no sangue, ele se acumula nas paredes das artérias, o que faz com que elas fiquem estreitas e o fluxo sanguíneo para o coração seja bloqueado ou reduzido. O sangue é responsável por carregar oxigênio para o coração e, se uma quantidade suficiente não consegue chegar lá, você pode ter dores no peito. Se o suprimento de sangue para uma parte do coração for totalmente bloqueado, a consequência é um enfarte.
  • Colesterol alto provoca sintomas?
O colesterol alto por si só não acarreta nenhum sintoma. Por isso, muitas pessoas nem imaginam que estão com esse problema. Portanto, é preciso descobrir qual o nível do seu colesterol consultando um médico e fazendo exames de sangue periódicos. Se estiver alto, baixá-lo é essencial, pois reduzirá o risco de desenvolver uma doença do coração. O índice ideal de colesterol total é de até 200 mg/dl, sendo que o LDL precisa ser menor do que 160 e o HDL acima de 40 para homens e 50 para as mulheres. Esse valor é padrão para adultos saudáveis e, se você tem diabetes ou possui mais de dois fatores de risco (fumante, hipertenso, obeso ou tem histórico familiar), só o médico poderá lhe dizer qual é o seu índice ideal.
  • Qual é o tratamento?
O principal objetivo é baixar o nível de LDL e elevar o HDL. Para diminuir o colesterol, o mais importante é ter uma dieta saudável, praticar atividade física regularmente e manter o peso ideal. Algumas pessoas podem também precisar de medicação. Nesse caso, as estatinas ainda são a melhor pedida. Elas bloqueiam a síntese de colesterol no fígado e, com isso, disparam a demanda dessa substância. O resultado é um aumento dos receptores de LDL, que acabam tirando o colesterol ruim de circulação. Mas esse é só um exemplo de medicação, existem outros tipos que somente o seu médico saberá indicar, ok?
  • Tem como prevenir?
Claro que sim. Essa é a melhor forma de manter longe esse inimigo das artérias. Pra isso, é preciso:
- Ter uma vida mais ativa, principalmente fazendo exercícios aeróbicos. Procure seu médico e em seguida um professor de educação física.
- Não fumar. Tente parar logo se for o seu caso, pois o cigarro lesa as paredes dos vasos.
- Manter o peso dentro da faixa ideal. Fazer avaliações físicas é uma ótima pedida.
- Dar preferência às margarinas com fitosterol, que reduzem pra valer a absorção do colesterol ruim.
- Reduzir o consumo de carne vermelha. Que tal substituí-la por peito de frango ou peixe?
- Preferir os queijos brancos em vez dos amarelos.
Alguns alimentos são, comprovadamente, benéficos para ajudar no equilíbrio dos índices do colesterol. Confira a seguir:

  • Aveia: pelo fato de conter fibras solúveis, ela ajuda a tirar o colesterol de circulação, eliminando-o pelas fezes.
A aveia, por ser rica em fibras solúveis, que se ligam à água e se transformam em um gel capaz de eliminar as gorduras das artérias e impedir que elas sejam absorvidas pelo intestino
A aveia, por ser rica em fibras solúveis, que se ligam à água e se transformam em um gel capaz de eliminar as gorduras das artérias e impedir que elas sejam absorvidas pelo intestino
  • Soja: a proteína dela faz os receptores do fígado atraírem a gordura e as isoflavonas combatem a formação da placa. Os fitosteróis competem com o colesterol, diminuindo sua absorção.
A soja é considerada uma fonte de proteína completa, isto é, contém quantidades significativas da maioria dos aminoácidos essenciais que devem ser providos ao corpo humano através de fontes externas, por causa de sua inabilidade para sintetizá-los
A soja é considerada uma fonte de proteína completa, isto é, contém quantidades significativas da maioria dos aminoácidos essenciais que devem ser providos ao corpo humano através de fontes externas, por causa de sua inabilidade para sintetizá-los
  • Antioxidantes: encontrados nas frutas e verduras ricas em vitaminas C, E e betacaroteno (como laranja, manga, mamão, beterraba, etc), eles impedem a oxidação do LDL.
  • Gorduras do bem: conhecidas como mono e poli-insaturadas. As mono reduzem o colesterol total sem alterar o HDL e são encontradas em oleaginosas, azeitona e abacate. As poli diminuem a produção do colesterol e estão presentes em nos óleos vegetais.
Quando o assunto é o colesterol, o que vale é ter atenção desde sempre. Muitas pessoas só se ligam nisso depois dos 40 anos, quando já pode ser tarde. Ter uma rotina saudável, consultar sempre o médico e abandonar o cigarro são essências na luta contra o colesterol, não se esqueça!

BOICOTE NA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA

Até o ano pas­sado, o ­índice de “boi­cote” às aulas  de edu­ca­ção ­física do colé­gio Renas­cença, em São Paulo, che­gava a 30%, ­segundo esti­ma­ti­vas do dire­tor, João Car­los Mar­tins. “Era impres­sio­nante o ­número de ates­ta­dos médi­cos e a quan­ti­dade de vezes ao mês que as meni­nas fica­vam mens­trua­das”, ­brinca. Essa rea­li­dade se repete em outros colé­gios, em geral, a par­tir da ­oitava série do ­ensino fun­da­men­tal.

Para resol­ver o pro­blema, o colé­gio estu­dou alter­na­ti­vas em reu­niões entre edu­ca­do­res e repre­sen­tan­tes de ­classe e, desde o iní­cio deste ano, uma nova pro­posta para as aulas de edu­ca­ção ­física ­entrou em vigor. Duas vezes por ­semana, no último horá­rio do ­período, os 280 alu­nos do ­ensino médio fazem a ati­vi­dade de sua pre­fe­rên­cia na aca­de­mia Bio Ritmo do Shop­ping Pátio Higie­nó­po­lis, a uma qua­dra da ­escola. O apelo fun­cio­nou entre os ­jovens, que ado­ra­ram a novi­dade.

Na aca­de­mia, os alu­nos têm ­várias ­opções. Além do ho­rá­rio de edu­ca­ção ­física, pelo ­pacote acor­dado entre a ­escola e a aca­de­mia, ainda podem fre­qüen­tar a ati­vi­dade que qui­se­rem, todos os dias, até as 16h. Sair do colé­gio e con­vi­ver em outro ambiente tam­bém é impor­tante para a socia­li­za­ção do aluno. ­Segundo Mar­tins, o índice de insa­tis­fa­ção com as aulas de edu­ca­ção ­física bai­xou para cerca de 10%. “Edu­ca­ção ­física é uma dis­ci­plina indis­pen­sá­vel. Lida com rela­ções, ­regras, autocon­trole e dis­ci­plina de forma dife­rente do que em sala de aula. Os alu­nos tam­bém des­car­re­gam a ener­gia con­cen­trada ­durante as aulas teó­ri­cas”, diz. Para os alu­nos que ado­ram jogar bola, os trei­nos con­ti­nuam. Acon­te­cem na ­escola, à tarde e à noite. 

Fonte: Educar para crescer.

OBSERVAÇÃO: O QUE MAIS ME CHAMOU A ATENÇÃO NESTA MATÉRIA É, PORQUE SINTO ESTE MESMO PROBLEMA NA ESCOLA DE ENSINO.FUNDAMENTAL.MÉDIO. MONS. JOSÉ GERARDO FERREIRA GOMES, EM SOBRAL - CEARÁ, NA QUAL LECIONO COMO PROFESSOR DO 9º AO 3º ANO DO ENSINO MÉDIO. A FREQUÊNCIA É IRRISÓRIA NAS AULAS PRÁTICAS. MUDEI O ESQUEMA DE ATENDIMENTO, VAMOS VER SE DARÁ CERTO. 

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Estresse: conheça este inimigo

Essa reação física é capaz de alterar totalmente o equilíbrio do organismo.

O estresse é um conjunto de reações fisiológicas que se exageradas em intensidade ou duração podem levar a um desequilíbrio no organismo. Estas reações envolvem quatro sistemas do organismo, sendo eles: esqueléticomuscular, o imunológico, o gastrointestinal e o cardiovascular.

O principal fator causador do estresse é o excesso de trabalho e a incapacidade de organizar tarefas e funções, além disso, problemas considerados sem solução podem levar a este quadro.

De acordo com estudiosos da área, o estresse pode causar consequências tanto físicas (gripe, gastrite, dores no peito, palpitações, e outras manifestações clínicas), como emocionais (agitação, insônia, descontentamento com as questões do dia a dia, péssimo desempenho no trabalho), no entanto só é considerado como doença quando estiver associado a maus hábitos de vida, como: fumo, sedentarismo, má alimentação, o que pode provocar problemas cardiovasculares.

Ter uma alimentação balanceada pode diminuir os transtornos ocasionados pelo estresses, evitar excesso de gorduras e doce pode aliviar os sintomas. Atividade física regular também é uma boa recomendação, sendo que os exercícios aeróbicos são mais eficazes (natação, corrida, caminhada, bicicleta).

O tratamento psicoterápico é recomendado para casos mais complexos e crônicos. Neste, o médico e psicólogo visam equilibrar o emocional do paciente, e caso seja necessário tranquilizantes e antidepressivos serão prescritos.

Porém, o melhor remédio ainda é a prevenção, ter uma boa qualidade de vida, conciliando trabalho com distração e evitar levar para casa as tensões decorrentes do dia a dia são ótimas opções de impedir este mal.

BENEFÍCIOS DO JUDÔ




Imagem retratando uma luta de judô.Criado há pouco mais de cem anos no Japão, o judô é uma arte marcial suave que usa o corpo como uma alavanca para envolver e imobilizar o adversário, utilizando a força do outro em benefício próprio. Uma das leis desta luta é fazer o mínimo esforço para a máxima eficiência.

Nesta arte japonesa não é permitido empurrar, chutar nem dar socos. O judoca derruba o adversário segurando-o pelo quimono. Um dos grandes benefícios do judô, em que o praticamente cai bastante, é aprender a ir ao chão sem se machucar. Aliás, o judô ensina primeiro a cair e depois a derrubar o adversário.

Não existe uma idade limite para se iniciar no judô, mas quanto antes, melhor, pois o aprendizado é para toda a vida. O caminho a percorrer é longo.

A faixa branca é a do principiante, passando depois para cinza, azul, amarela, laranja, verde, roxa, marrom e preta. Depois da preta, tem ainda o dan (grau) da coral e da vermelha. O atleta atinge a faixa preta quando está no máximo de seu vigor físico, na juventude e depois passa a aprimorar a força mental e espiritual na maturidade.

O praticante de judô melhora o condicionamento físico e ganha força, pois os golpes trabalham todos os músculos, especialmente das pernas, braços e abdômen. Dá agilidade de raciocínio e ação, melhora a elasticidade e a resistência.

Além disso, destaca-se por ajudar a pessoa a ter mais disciplina, espírito de companheirismo, lealdade e concentração. Prova disso é que, no Japão, o judô é uma das disciplinas obrigatórias na academia militar (marinha, aeronáutica e exército), por colaborar no desenvolvimento destes valores.

Para alcançar todos os benefícios, é recomendável a prática pelo menos três vezes por semana, em aulas de uma hora e meia, que chegam a queimar cerca de 800 calorias.

Porém, antes de se inscrever em uma academia para treinar, procure conhecer o histórico do professor e se ele está filiado à Confederação Brasileira de Judô ou a uma federação estadual.

Benefícios na prática do judô

- Desenvolve o corpo;

- Desenvolve a agilidade, equilíbrio, velocidade, coordenação e a flexibilidade;

- Desenvolve a disciplina;

- Desenvolve a capacidade de analisar a realidade que o cerca;

- Desenvolve os valores como honestidade, humildade, solidariedade e respeito;

- Fortalece a parte espiritual.

Riscos

Se praticado regularmente e na presença de um professor devidamente qualificado, o judô oferece poucos riscos. Porém podem ocorrer lesões como: luxações, entorses ou estiramento muscular.

Quem pode praticar

Para quem quiser ser um judoca profissional, o ideal é começar cedo. Já para quem quer melhorar o condicionamento físico, o judô pode começar a ser praticado em qualquer idade e de preferência após uma avaliação médica.

Onde praticar judô?

O judô deve ser praticado num local especialmente projetado, conhecido como dojô. Neste local deve haver um piso especial chamado tatame, que tem a propriedade de absorverem impactos e, assim, diminuir potenciais lesões que poderiam ocorrer durante a prática. Tal como um mosteiro, o dojô é um lugar sagrado onde as pessoas vão aperfeiçoar o corpo e a mente.

Periodicidade da prática

Os praticantes, algumas vezes, se enganam em seus treinamentos, tanto praticando demais como de menos. A prática insuficiente é o problema mais comum. O real valor do Judô só aparece como resultado da prática regular. Para obter o máximo benefício físico, mental e espiritual do judô, deve-se praticar todos os dias sem falhar. Quando for impossível treinar no dojô, deve-se, pelo menos, executar o Seyrioku Zen’yo Taiiku – no Kata.

Vestimenta do judô

O conjunto de jaqueta, calça e faixa usadas na prática do judô é chamado de judogui. A jaqueta e a calça são brancas ou azuis e a faixa varia de cor conforme a graduação do usuário. Iniciantes, sem qualquer graduação, usam faixa branca. Quando atingirem a graduação de kiyu, usam faixas coloridas. 



Esta notícia foi acessada em 18/05/2011 no sítio Saúde Plena.

Todas as informações nela contida são de responsabilidade do autor.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Planejamento curricular da Educação Física Escolar

O principal questionamento quando trabalhamos com o planejamento curricular é o seguinte: Como organizar os conteúdos da Educação Física Escolar?


Os professores têm muita dificuldade em estar organizando a sistematização dos conteúdos. Quando trabalhar e com o que trabalhar em cada uma das séries? As demais disciplinaspossuem conteúdos sistematizados que indicam claramente o que trabalhar ao longo dos anos escolares, mas a Educação Física não o possui e isso acaba por gerar dúvidas e trabalhos desarticulados e sem seqüência lógica.

Isso é fundamental para qualquer organização curricular que se pretenda. No que diz respeito ao planejamento e sistematização dos conteúdos da Educação Física Escolar tem-se a dúvida: deve atender ao desporto, à linha desenvolvimentista que considera os níveis de desenvolvimento e complexidade das ações motoras, à vertente da cultura corporal ou outra linha de trabalho?

Desprezar qualquer linha de pensamento ou de prática pedagógica, é como estar limitando a ampliação e complexidade das possibilidades pedagógicas que cada uma delas traz implicitamente. Sendo assim, é importante que os docentes se apropriem de todos os conhecimentos possíveis e que, por intermédio deles, elaborem matrizes curriculares a ponto de propiciarem avanços pedagógicos palpáveis e úteis ao momento histórico que esteja vivendo. 

Contudo, faz-se necessário entender as limitações tanto pessoais quanto estruturais dos avanços. Isso pode minimizar choques e retrocessos pedagógicos traumáticos para todos que participam do processo educativo.

De acordo com Sacristán (1992, p.312), o professor não atua seguindo modelos formais ou científicos, nem elabora estratégias de intervenção precisas e inequívocas segundo modelos de ensino ou de aprendizagem, nem decide a sua prática a partir de filosofias ou declarações de objetivos, pelo fato de responder pessoalmente, e na medida de suas possibilidades, com diferente grau de comprometimento ético-profissional, às exigências do seu posto de trabalho com um grupo de alunos em condições determinadas. Porém, não podemos concluir que, por isso tudo, é um mal profissional.

Na sua atividade prática, pode aproveitar idéias e teorias científicas, muito embora se trate sempre de uma elaboração pessoal perante situações complexas em que se deveria contar com o tacto, com a experiência e com o saber-fazer, depurados por uma crítica realizada a partir dos valores que guiam a ação e a partir do melhor conhecimento possível da realidade e de como esta poderia ser.

O conhecimento científico e as teorias pedagógicas, são importantes para conhecermos melhor, para nos conscientizarmos das conseqüências e para descobrir, com mais clareza, caminhos alternativos. Porém, em si mesmas, não orientam diretamente a prática docente.

O autor nos aponta, de forma bastante clara, que entendermos o nosso cotidiano, nossas condições e realidade se coloca como ponto central nas possibilidades de avanços na prática pedagógica. A leitura, compreensão e domínio dos conhecimentos e teorias pedagógicas se fazem como base do saber-fazer, entretanto as variáveis das condições locais, estrutura, possibilidades de ações, administração, demais docentes, alunos e tantas outras, impedem, por vezes, a aplicação de novas ações em sua plenitude. Isso deve servir de alerta e, ao mesmo tempo, de reflexão para avanços gradativos e continuados. Neste sentido destacamos também o trabalho de Oliveira (1999) que demonstrou como atuar de forma gradativa na implantação de novas propostas metodológicas e os percalços que o docente vivencia nesta mudança.

Assim colocado, como a Educação Física pode ser pensada e organizada no meio escolar?

O primeiro passo ao qual devemos no dedicar é o de uma visão macro da área. Os Parâmetros Curriculares Nacionais os definem como blocos (a) esportes, jogos, lutas e ginásticas; (b) atividades rítmicas e expressivas e (c) conhecimento sobre o corpo. Porém, entendemos que os conteúdos da Educação Física exigem uma ampliação e redefinição desta sugestão, ou seja, classificamos como núcleos de concentração e procuramos ampliar suas abordagens e propiciar maior complexidade deixando-lhes o movimento humano como objeto de estudo e não apenas modalidades esportivas. Desta forma, os estruturamos como: a) o movimento em descoberta e estruturação; b) o movimento nas manifestações lúdicas e esportivas; c) o movimento em expressão e ritmo e d) o movimento e a saúde onde

a) O movimento em descoberta e estruturação: compreende a fase inicial do movimento humano, ou seja, a descoberta e a vivência exploratória. Os conteúdos relacionados a este núcleo cuidarão de oferecer uma formação suficiente à vivência e ao entendimento do mundo motor de base. A fase de estruturação compreenderá os conhecimentos afetos à reelaboração e adaptação do mundo motor ao atendimento das diversas manifestações construídas e praticadas pelo homem;

b) O movimento nas manifestações lúdicas e esportivas: compreende o estudo da cultura elaborada em relação ao mundo motor. Contemplar o maior número de experiências e vivências dentro do que o homem criou e estruturou no mundo motor é a função básica deste núcleo. A sociedade pode ser demonstrada e estudada por meio dos conteúdos deste núcleo e, o estudo pormenorizado dos conteúdos aqui tratados, poderá contribuir no entendimento maior de como esta se organiza. Os jogos e esportes e suas múltiplas variações são os componentes centrais;

c) O movimento em expressão e ritmo: o corpo e suas possibilidades motoras é muitas vezes esquecido em sua beleza e condição expressiva. Realçar esta faceta de fundamental importância na estruturação biopsicológica de nossos alunos é função deste núcleo. A escola é um dos poucos espaços sociais onde as habilidades artístico-motoras podem ser vivenciadas, exploradas e, assim, contribuir na formação de um sujeito que consiga perceber e entender um pouco melhor a arte, o seu próprio corpo e suas possibilidades. As artes cênicas e a ginástica são os grandes componentes deste núcleo;

d) O movimento e a saúde: o movimento coloca-se como elemento imprescindível às condições básicas de saúde, assim este núcleo deverá abarcar as questões básicas da higiene, saúde e atividade física permanente. Este núcleo, da mesma forma que os demais, é constante em toda a vida escolar do aluno. Ao encerrar o ensino médio, a última etapa da Educação Física curricular obrigatória, o aluno deverá possuir autonomia sobre os conhecimentos relacionados ao corpo, suas condições básicas de higiene e de como se organizar para uma vida saudável fazendo uso dos conhecimentos aqui trabalhados.

A apresentação dos núcleos e suas nomenclaturas deve ter deixado claro que entendemos o objeto de estudo da Educação Física como sendo o movimento humano. Este entendimento é baseado nos estudos fenomenológicos de Merleau Ponty (1994), nos estudos sobre a motricidade humana de Sérgio (1995), e nas propostas de ensino aberto de Hildebrandt e Laging (1986), Grupo de Trabalho Pedagógico (1991) e Gallardo, Oliveira e Araveña (1998).

Transformando Suor em Ouro - Bernardinho NO VOLEI E NA VIDA

Frases extraídas de seu livro:


Compreender a importância da instrução no desenvolvimento cultural e profissional.

Dedicar-se com obstinação, na busca de um objetivo.

Entender a paixão como fator essencial de motivação.

Superar as limitações pessoais pela disciplina.

Nunca esquecer que a vaidade é inimiga do espírito de equipe.

Buscar o "brilho da vitória" no olhar de seus colaboradores.

Trabalhar a perseverança, a obstinação, não desistindo nem recuando diante de obstáculos.

Desenvolver o senso de observação.

Entender que o sentido de coletividade é mais importante do que eventuais centelhas individuais.

Combater o desperdício de talento.

Falhe ao planejar e estará planejando falhar.

Monitorar constantemente sua vaidade.

Treinar ao nível extremo significa desenvolver ao máximo sua capacidade de realização.

Detectar e desenvolver talentos é uma das principais atribuições do líder.

Estudar, ler, observar, questionar constituem o processo de preparação.

Assumir o desafio de, ao encontrar um time pronto, conquistar as pessoas e fazer delas o "SEU" Time.

Lembrar-se sempre de que o talento, por si só, não basta.

Boas performances dependem de conteúdo (fruto de preparação) + entusiasmo (fruto da paixão).

Encarar os desafios como grandes oportunidades.

Não prometer o que não pode ou não pretende cumprir.

Entender a importância de todas as peças, mesmo as "consideradas" menos importantes.

Criar metas ideais.

Acreditar na força transformadora do efeito pigmalião (quanto mais o chefe mostrar que acredita no potencial de seus colaboradores e se dedicar a eles, maior será sua produtividade)

Não rotular as pessoas.

Concertrar-se no condicionamento, nos fundamentos e na união para a formação de uma equipe vitoriosa.

Trabalhar para fortalecer a parte emocional, de forma a não perder o foco na execução de uma tarefa.

Tentar entender os porquês de uma derrota, assumir suas responsabilidades e seguir em frente.

Inconformismo, insatisfação - sem isso, não se dá um passo à frente.

Não existem atalhos para o sucesso, mas o trabalho intenso é a estrada mais curta.

Errar na forma é aceitável, mas nunca na intenção.

O questionamento é uma grande fonte de crescimento, e o crescimento permanente, uma grande fonte de satisfação.

Entender a importância do trabalho em equipe (Team Work)

Incentivar lideranças.

Manter a motivação sempre elevada.

Preservar e buscar se superar constantemente.

Trabalhar o comprometimento e a cumplicidade entre as peças da "grande engrenagem".

Disciplina e Ética são hábitos que perpetuam os bons resultados.

Assumir responsabilidades e tentar extrair lições das derrotas para não repetir os erros.

O verdadeiro líder deve se manter sempre atento aos seus colaboradores.

Tentar evitar as armadilhas do sucesso.

Ter consciência coletiva exige desprendimento, solidariedade, companheirismo e espírito de equipe.

Uma equipe nem sempre é formada pelos melhores, mais capazes, mas sim pelos colaboradores certos.

Uma equipe vencedora tem sempre bons reservas.

Ter senso de urgência. (realizar cada tarefa como se fosse a mais importante. Jogar cada ponto como se fosse o decisivo.)

Entender que a condição de favoritismo atribuída a nós por outros deve servir como sinal de alerta.

Saber que as vitórias do passado só garantem uma coisa: grandes expectativas e maiores responsabilidades.

Criar zonas de desconforto para afugentar a armadilha do sucesso e testar o comprometimento dos vitoriosos.

Conscientizar-se de que o verdadeiro campeão controla a vaidade para que, como um autêntico TEAM PLAYER, eleve o nível de atuação de todos à sua volta.

Um trabalho de preparação meticuloso é o caminho mais curto para a vitória.

É importante que os "primeiros da classe" se preparem com a mesma intensidade daqueles que os perseguem, caso contrário serão alcançados e provavelmente ultrapassados.

Optar pelas pessoas certas e não pelas mais talentosas.

Focar no trabalho de equipe.

Fomentar as lideranças no grupo.

Treinamento extremo. (nada substitui o treinamento)

Buscar equilíbrio entre cobranças e condições externas.

Atenção ao sucesso e suas armadilhas.

Buscar constantemente a excelência.

Bernadinho, Técnico da Seleção Brasileira de Vôlei - Masculino Adulto.




Loading...

TEM WORK

"Se não houver paixão, se não houver comprometimento, tudo o mais é inútil".

"A Expectativa gera responsabilidade, o que leva à necessidade de mais trabalho e a uma atenção ainda maior aos detalhes".

"O Sucesso tem muitos pais, mas o fracasso é quase órfão".